A nova droga dos adolescentes

 Quais são os riscos do óxido nitroso, esse “gás hilariante” que é cada vez mais popular entre as crianças? Enquanto várias autoridades decidiram proibir a venda de cartuchos de óxido nitroso a menores de idade ouvimos Clément Gérome, pesquisador do Observatório de Drogas e Toxicodependência sobre os perigos desse produto popular para adolescentes.

 

O que é óxido nitroso e onde é encontrado?

Clément Gérome: O óxido nitroso, mais conhecido como “gás de riso” ou “proto”, é um gás usado na indústria médica pelas suas propriedades anestésicas e analgésicas. Também é usado como gás pressurizado em aerossol de alimentos em cartuchos de chantilly ou aerossóis de ar seco, por exemplo.

Como a consumimos e quais são seus efeitos?

 C.G .: Os usuários compram cartuchos para sifões de chantilly, esvaziam o conteúdo (óxido nitroso) num balão e inalam. O efeito eufórico é imediato, daí o apelido de gás hilariante e dura alguns minutos. São esses pequenos cartuchos vazios que às vezes são encontrados em grandes quantidades nas calçadas.

Qual é o perfil dos consumidores?

C.G .: Os perfis variam de acordo com contextos e lugares. Vinte anos atrás, esse gás era consumido principalmente em festas gratuitas por amadores de festas techno alternativas. Há cerca de quinze anos, também é usado durante festas de estudantes e em boates. O óxido nitroso é frequentemente associado ao álcool ou outras substâncias psicoativas, como cocaína ou MDMA.

Segundo as nossas observações, o consumo nesses contextos festivos se desenvolveu nos últimos cinco anos.

Os consumidores também estão ficando mais jovens. Como você explica esse novo consumo? É influenciado pelas redes sociais?

C.G .: Na ausência de uma pesquisa estatística, não podemos dizer que os consumidores estão ficando cada vez mais jovens. No entanto, parece claro que o uso de óxido nitroso se desenvolve em menores, adolescentes e estudantes do ensino médio. As redes sociais conseguiram, de facto, desempenhar um papel na disseminação do produto. Os vídeos em que vemos jovens rindo depois de inalar esse gás podem fazer os outros quererem tentar. Sabemos que os efeitos da moda são muito importantes para os jovens

Mas outros fatores podem explicar esse fenômeno: o produto é vendido legalmente no comércio e os efeitos fugazes dão a sensação de que não é perigoso. A essas representações positivas acrescenta-se o fato de que a substância pode ser consumida em um grupo e que provoca risos entre os amigos.

No entanto, o consumo de óxido nitroso não é isento de riscos.

C.G .: Não, é claro. As complicações são raras quando o produto é tomado ocasional e moderadamente, mas os riscos existem. Você pode queimar os lábios e a garganta porque o gás está muito frio.

Quando consumido repetidamente e em intervalos curtos, pode causar dores de cabeça, tontura e perda de consciência com risco de queda (fratura, trauma …). Nos casos mais graves, o óxido nitroso pode causar distúrbios do ritmo cardíaco (especialmente se associado a estimulantes, como cocaína) e levar à asfixia.

Podemos tornar-nos viciados?

C.G .: Sim, em caso de consumo crônico, existe o risco de dependência. O uso pesado também pode levar a outras complicações, como distúrbios mentais, deficiência de vitamina B12 e problemas cardíacos, neurológicos ou de anemia. O fenómeno começa a preocupar algumas autoridades eleitas que proibiram a venda de cartuchos de óxido nitroso a menores. Os média também transmitiu essas iniciativas. Essa cobertura dos média lhe parece justificada?

CG: É verdade que os artigos se multiplicaram nos últimos meses e descrevem o fenómeno em termos às vezes alarmistas. Por exemplo, é inapropriado falar de um “flagelo” referente ao uso de óxido nitroso, enquanto as mortes são muito raras na França (apenas uma registada desde 2016, duas outras ligadas ao consumo de gás contido em aerossóis para computadores limpos). No entanto, os casos de abuso e dependência relatados em centros de dependência de vigilância aumentaram nos últimos meses.Os usuários, especialmente os mais jovens, geralmente não possuem informações sobre a periculosidade do produto. Portanto, hoje são necessárias campanhas de prevenção e informação sobre óxido nitroso para limitar os riscos.

___________________________________

 Texto La-Croix, Entrevista de  Paula Pinto Gomes

Tradução: Redacção Sociedade Justa

 

 

 

Deixe uma resposta

*